MCP – MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR

Criado no Recife em maio de 1960, quando o prefeito da cidade era Miguel Arraes, foi um movimento que teve como objetivo básico difundir as manifestações da arte popular regional e desenvolver um trabalho de alfabetização de crianças e adultos.

Seu ideário era, em resumo, “elevar o nível cultural dos instruídos para melhorar sua capacidade aquisitiva de idéias sociais e políticas” e “ampliar a politização das massas, despertando-as para a luta social”.

Na prática, esse trabalho era feito através de apresentação de espetáculos em praça pública; organização de grupos artísticos; oficinas e cursos de arte; exposições; edições de livros e cartilhas, etc.

O trabalho de alfabetização tinha à frente o jovem educador Paulo Freire, que foi um dos sócio-fundadores do movimento. Também integraram o MCP, intelectuais e artistas como Francisco Brennand, Ariano Suassuna, Hermilo Borba Filho, Abelardo da Hora, José Cláudio, Aloísio Falcão e Luiz Mendonça.

O MCP teve por sede o Sítio da Trindade, na Estrada do Arraial. Era uma entidade privada sem fins lucrativos e se mantinha através de convênios que, na prática, foram firmados quase que exclusivamente com a prefeitura do Recife e o governo do Estado.

Além de recursos financeiros, a prefeitura do Recife chegou a colocar à disposição do MCP 19 viaturas e 30 imóveis. O movimento contou com apoio da intelectualidade pernambucana e de facções políticas de esquerda tais como a União Nacional dos Estudantes (UNE), Partido Comunista Brasileiro (PCB) e outras.

Devido ao clima político da época, o MCP ganhou dimensão nacional e serviu de modelo para movimentos semelhantes criados em outros Estados brasileiros. Entre 1962/63, forças de direita tentaram sufocar o movimento e houve uma mobilização nacional em sua defesa: até mesmo o então Ministro da Educação, Darci Ribeiro, veio ao Recife apoiar pessoalmente o MCP e o considerou “um exemplo a ser levado a todo o País”. Com o golpe militar de 1964, o MCP foi extinto.

ORIGEM – PERNAMBUCO DE A/Z

Anúncios

20 respostas para “MCP – MOVIMENTO DE CULTURA POPULAR

  • onilda soares

    por gentileza gostaria de saber como conseguir mais mateiral sobre o MCP e o Projeto Educacional nele enserido, pois minha pesquisa na graduação em Historia na UFMS é neste caminho

  • Marcelo Almeida

    por gentileza gostaria d saber como conseguir mais material sobre o MCP, pois gostei mt da ideia e to com um projeto nessa area.

    agradeço desde ja

  • gostei da proposta do movimento de cultura popular gostaria de rebeber por e mail tudo que fala sobre a movimento principalmente sobre o trabalho de Paulo Freire a frente deste programa.

    gostaria de Saber mais sobre o Trabalho de paulo Freire

  • Maria

    Oii por gentileza gostaria de saber sobre o
    trabalho de alfabetização de Paulo Freire á frente do MCP

  • gisa

    adorei o artigo gostaria de saber mais sobre os movimentos populares da educação

  • Ivan Mauricio

    O ano de 2010 será marcado pela comemoração dos 50 anos da fundação do Movimento de Cultura Popular – MCP – no Recife – http://uiop.me/nFM

  • damaris diniz

    gostaria de receber tudo sobre o MCP

  • Inaldo Leite

    Gostaria de ter mais inormações sobre o MCP, podem me ajudar?

  • valdilene maria

    Estou muito feliz por encontrar essas informações sobre o MPC, estou colhendo informações de fatos importantes da década de 60 para meu memorial faço pedagogia na UPE de Garanhus e sou de Toritama.

  • Rosi

    por gentileza gostaria d saber como conseguir mais material sobre o MCP, pois gostei mt da ideia e to com um projeto nessa area. Principalmente sobre o trabalho de Paulo Freire a frente deste programa. Desde já agradeço!

  • julia

    A Escola Municipal da Mangabeira, no Noroeste da Cidade, aproveitou as comemorações do cinquentenário do Movimento de Cultura Popular (MCP), na noite desta sexta-feira (14), para realizar uma grande festa de confraternização entre pais e alunos, também alusiva ao Dia das Mães, animada pela Banda Sinfônica do Comando Militar do Nordeste (CMNE).

    O evento foi destinado aos cerca de 300 alunos, além de professores, pais de alunos e moradores do bairro. Durante a festa, que aconteceu no pátio externo da escola, foram distribuídos pipoca, algodão doce e cachorro quente entre os alunos, na faixa etária dos quatro aos 11 anos. A parceria do CMNE com a unidade de ensino da Prefeitura do Recife vai contemplar visitas futuras dos estudantes e professores às instalações do Exército, no Curado.

    Comemorar os 50 anos do MCP não foi mera coincidencia para a Escola da Mangabeira, que desde o ano passado desenvolve projetos baseados nos princeipios do Movimento de Cultura Popular, como o “Cantadores do Nordeste”, que promoveu o encontro dos alunos com o forrozeiro Santana. A partir desse intercâmbio, puderam ter acesso à boa música, algo difícil nas periferias. O artista visitou várias vezes a escola para atividades educativas, como uma roda de prosa e leitura de poesia. Como resultado desse projeto, chegaram a publicar um livro, escrito pelos próprios alunos, intitulado “Me arreceba na caixa dos peitos”, jargão muito usada pelo músico em seus shows. Entusiasmada, a coordenadora da escola, Ana Lúcia, fala sobre os resultados da inclusão da cultura no cotidiano dos jovens. “Houve um aumento significativo do nível da aprendizagem. Achamos que isso proporcionou um estímulo muito grande para os alunos”, afirmou.

    Para mães e alunos, o evento promoveu um momento de confraternização. A recreadora Cremilda Maria, mãe dos alunos Raíssa, de 10 anos, Wellington, de 9 anos e Gabriel, de 12 anos, aprovou a iniciativa da festa. “Já conhecia a Banda e estou achando muito bom. Acho que o colégio acertou em cheio em nos proporcionar esses momentos”, comemorou. Momentos que levam a cultura para perto da comunidade. “Educação nao se faz apenas com a instrumentalização do conteeudo, mas também com cultura”, concluiu Ana Lúcia.

  • Paulo henrique mendes de lima

    Eu estou participando de uma feira de conhecimento sobre o mcp e quero informacoes sobre a cartilha do mcp mande pelo meu e-mail

  • luisa

    oi eu ainda n li isso ai,e n sei oq diser

  • José vidal de Negreiros neto

    Gostaria que seu Neto reinicia-se o movimento, pois teria o apoio do Poeta Negreiros Neto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: